Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora em defesa da cultura regional


Revista Casa D’Italia, Juiz de Fora, Ano 3, n. 25, 2022 – Marcio Arcuri | Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora em defesa da cultura regional


Entidade fundada em 18 de março de 1956 por estudiosos das áreas de História e Geografia, como Almir de Oliveira, Dormevilly Nóbrega, Jair Lessa, Wilson Lima Bastos, Franz Huchleitner, Raul Lopes, Celina Viegas, entre outros,  o Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora foi criadocom a finalidade de desenvolvimento dos estudos sobre a região de Juiz de Fora e sua influência regional e estadual. A receptividade foi a melhor nas variadas camadas sociais e de formação cultural. Foi dessa heterogeneidade que se gerou a variedade de pensamentos, visões e formas de expressão que o Instituto possui até hoje.

Muitos podem pensar: e as faculdades (UFJF veio depois) serviam para quê?

Eram tempos em que o conhecimento adquirido pelo aluno em sala de aula era tido como o necessário e técnico para o resto de suas vidas. Não precisava melhorar mais. O desenvolvimento, os estudos e as pesquisas que surgiram na vida cultural e técnica depois da vida escolar não chegariam ao conhecimento desses ex-alunos se eles o fizessem por vontade própria.

Livros e cursos eram repetidos por gerações sem as alterações provocadas pelo desenvolvimento da sociedade. E, quando surgiam, as novidades eram caras, tornando as o diferencial de uma sociedade mais abastada. Como repassar essas novidades para o restante dos estudiosos?

Para poderem se desenvolver no aspecto técnico e cultural,  as pessoas formavam grupos de trabalho onde repassavam umas para as outras os novos conhecimentos, prática que nivelava e melhorava a cultura dos participantes. O mais conhecido deles foi formado pelo Dr. João Villaça, na Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora, juntamente com seu grupo de médicos.

Na área de História e Geografia não foi diferente.

Passados quase 66 anos da existência do Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora, os sócios atuais continuam atuando com o mesmo entusiasmo, promovendo ações em que se expressam as mais variadas formas de se enxergar a História e a Geografia. Não temos um ideal histórico único e estamos cada vez mais na diversidade de pensamentos. Não somos donos da História local, mas a estudamos para estabelecermos suas causas e consequências nas vidas das pessoas. O IHGJF está aberto a toda forma de pensamento.

Acreditamos que não existe a História certa e a História errada. Existe somente a História de um povo, com suas características, seus problemas e suas diretrizes para direcionar mudanças.

O povo é formado por pessoas, líderes ou não, que, com sua forma de vida e seus posicionamentos, fazem a História se mover. Somos favoráveis e praticamos o estudo local e regional e suas influências em nossas vidas, e não descartamos a História convencional.

O objetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora é que as pessoas da região entendam o que houve e o que foi modificado na História para entendermos nosso comportamento atual e podermos estabelecer formas de direcionar nossas vidas.

Tudo o que sentimos hoje é feito do que já foi feito para estudarmos como seremos no futuro.

O Instituto sempre participou e sempre participará de promoções culturais junto à Prefeitura de Juiz de Fora, ao Governo de Minas Gerais e a entidades particulares na divulgação da cultura.

Para isso, realizamos conferências, palestras, debates e exposições sobre várias temáticas de História e Geografia da nossa região e da História em geral, frutos de pesquisas, estudos e ideias dos nossos sócios e de convidados que mostram a força em prol da cultura da nossa terra.

Para quantificar, foram realizadas 597 reuniões, com 461 palestras, predominantemente sobre a região de Juiz de Fora, além de 260 artigos de pesquisas nas 19 revistas físicas anuais promovidas pelo Instituto, apoiados por uma biblioteca com mais de 5.000 exemplares físicos para consulta.

A atual diretoria está promovendo melhorias para futuras promoções sociais. Hoje, estamos em processo de atualização do informativo cultural para participação nas redes sociais e em palestras virtuais e físicas. Devemos, ainda, participar de intercâmbio com outras entidades culturais para troca de experiências e fortalecimento por meio da união.

Parabenizamos à Casa D’Italia pelos excelentes exemplares de suas revistas e desejamos que possamos nos unir cada vez mais em nossas participações.


Referências Bibliográficas:

Atas das Reuniões do Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora.

ARCURI, Marcio. 65 anos do Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora – Seus Registros. Juiz de Fora: P7 Editora e Gráfica Rápida. 2022. (ainda não lançado / no prelo).


Marcio Arcuri

Arquiteto por Profissão, Historiador por vontade, Membro e Diretor do Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora com vários artigos pesquisados e escritos na Revista do Instituto e em 2019 foi agraciado pela Comenda Henrique Guilherme Halfeld.