Florença, a cidade de Dante Alighieri

Revista Casa D’Italia, Juiz de Fora, Ano 2, n. 15, 2021 – IMO Experiência Turistica | Florença, a cidade de Dante Alighieri


Não é de hoje que a principal cidade da região da Toscana tem seu encanto. Considerada o berço do Renascimento italiano, Florença encanta por seus casarões com cúpulas ornamentadas, além de possuir grande parte da produção artística do país espalhada por suas ruas e seus museus. As galerias de arte desse local também possuem muita importância por abrigar obras de Michelangelo, Botticelli e outros gênios. Dentre essas galerias, podemos destacar a Galleria degli Uffizi, que abriga as coleções de pinturas do século XIV e do Renascimento de alguns dos maiores artistas do período, como Giotto, Simone Martini, Piero della Francesca, Beato Angelico, Filippo Lippi, Botticelli, Mantegna, Correggio, Leonardo, Raffaello, Michelangelo, Caravaggio, bem como obras-primas da pintura europeia, especialmente alemã, holandesa e flamenga. A galeria abriga ainda a incrível coleção de estátuas e bustos da antiguidade da família Médici.

Vista da cidade de Florença

Além das grandes galerias, dos cafés e restaurantes históricos, e de sua arquitetura que, por si só, já é uma obra de arte a céu aberto, a cidade de Firenze (Florença) também é berço do grande escritor Dante Alighieri, que nasceu no ano de 1265, sendo considerado uma das figuras românticas e um dos maiores poetas da cena italiana. Seu amor por Beatriz, sua musa inspiradora, está bem cantado em suas obras, especialmente em Vita nova e na mais conhecida, A divina comédia, que marcaram a transição para a literatura moderna. Não é de surpreender que Dante seja frequentemente lembrado como o pai da linguagem moderna, e na cidade pode-se perceber sua presença imponente até os dias de hoje.

Já pensou em conhecer a cidade de Florença por uma perspectiva diferente? Trazemos a você uma experiência incrível, visitando sete pontos onde você terá a oportunidade de conhecer a vida e a obra de Dante.

1. Museu da Casa de Dante

Este é o ponto principal para iniciar seu roteiro. Aqui você vai conhecer alguns detalhes de como era a vida na idade Média, na sociedade em que Dante nasceu e cresceu. Além de contar sobre a vida do poeta, os três andares da casa se dividem para nos mostrar pontos dos aspectos político, econômico e social de sua época. É incrível conhecer onde a vida de Dante começou, no coração do centro histórico de Florença.

2. Igreja de Santa Margherita dei Cerchi (A igreja da família)

A igreja de Santa Margherita, datada de 1032, está localizada em uma pequena rua lateral depois da Casa di Dante, no sentido da Via del Corso. Embora seja conhecida como “igreja de Dante”, por ter sido frequentada por sua família e por ser ali que o poeta formalizou seu casamento arranjado com Gemma Donati, na verdade parece que Beatriz foi a verdadeira protagonista desse lugar, pois alguns acreditam que seus restos mortais são encontrados também na igreja. Acreditando nisso, os visitantes costumam escrever cartas para Beatrice (Beatriz), pedindo que os ajude em sua vida amorosa, e geralmente as deixam em uma pequena cesta colocada perto de sua suposta lápide.


3. A máscara da morte

Como o nome sugere, a máscara parece ser uma cópia do rosto de Dante após sua morte, mais conhecido como máscara fúnebre. Acredita-se que ela foi esculpida no final dos anos 1400 por Pietro e Tullio Lombardo (150 anos após a morte de Dante).

Hoje a máscara está em exibição no Palazzo Vecchio, onde se tornou o símbolo da contribuição política de Dante para a cidade de Florença e de seu papel de fundamental importância no desenvolvimento da literatura e da cultura italianas.

4. Casa de Beatrice

Recentemente vendido para passar por reformas e obter apartamentos de luxo, o Palazzo Portinari Salviati,na via del Corso, pertenceu a Folco Portinari, pai de Beatrice, banqueiro e fundador do Hospital Santa Maria Nuova, em 1288. Embora seja conhecida como Casa de Beatriz, foi, na verdade, a casa de sua família, onde ela cresceu e passou a infância até sua saída após o casamento.

5. Ponte Santa Trinita

Não há documentação de que essa seja realmente a ponte onde Dante conheceu Beatrice, porém ela foi retratada na obra “Dante e Beatrice”, de 1883, do artista Henry Holiday. Nela pode-se conhecer cores, trajes e gestos do período. Dá forma e vida à simples memória de um dos encontros durante os quais Beatrice parece ter reconhecido Dante e que deram vida à obra-prima Vita nova. Dali é possível admirar a Ponte Vecchio, onde milhares de visitantes passam para fazer as famosas e incríveis fotos da paisagem. Essa pintura está hoje em exposição no Walker Art Gallery in Liverpool, Inglaterra.

6. Sasso di Dante

Em um edifício localizado do lado oposto ao Duomo encontra-se uma grande placa comemorativa de mármore em que estão gravadas as seguintes palavras: “Sasso di Dante”. Acredita-se que Dante frequentemente encontrava-se sentado em uma pedra neste ponto, sempre pensativo.

7. Praça e Igreja de Santa Croce

Do lado de fora da Igreja de Santa Croce, ergue-se uma estátua severa de aspecto muito raivoso, em mármore, feita em 1865 para comemorar o 600º aniversário do nascimento de Dante. Mas a verdade é que o poeta, em Santa Croce, representa apenas uma memória. Os florentinos desejaram tanto que Dante voltasse à cidade depois de seu exílio que centenas de anos após sua morte construíram um belo monumento memorial para abrigar seus restos mortais, que seriam trazidos de Ravena de volta para a cidade. Só em 1519, graças a uma ordem papal, o Papa Leão X conseguiu obter uma resposta de Ravena e um caixão vazio foi enviado. Acredita-se que os monges franciscanos que estavam encarregados dos restos mortais de Dante os removeram secretamente do túmulo e os esconderam dentro de seu mosteiro. Com tudo isso, Dante ainda não voltou para sua cidade natal, mas você pode visitar a Santa Croce e conhecer o monumento à sua memória dentro da igreja e a orgulhosa estátua do lado de fora.

Para além do roteiro dedicado à vida de Dante Alighieri, elaborado pela Imo Experiência Turística especialmente para os leitores da Revista Casa D’Italia, seguem também algumas dicas para conhecer outros pontos da cidade de Florença, para se apaixonar pela capital da Toscana!

Quando visitar:

De abril a junho, durante a primavera, ocorrem diversos festivais. Nesse período também as ruas ficam floridas, com clima agradável. O período do verão, de junho a agosto, caracteriza -se pela alta temporada e pelo clima quente e seco. O outono ocorre de setembro a outubro e, nesse período, prevalece um clima com temperaturas amenas, quando a cidade fica mais tranquila, embora possam ocorrer chuvas. O frio do inverno começa a aparecer em novembro, mantendo as temperaturas mais baixas até março e deixando os dias mais curtos.

Onde ir:

Aqui, priorizaremos os passeios que poderão ser feitos a pé no centro histórico de Florença, ofertados nos roteiros da Imo Experiência Turística:

Igreja de Santa Maria del Fiore: Conhecida como Duomo de Florença, está localizada na Praça do Duomo de Florença. O início de sua construção data do final do século XIII com o projeto de Arnolfo di cambio, um famoso arquiteto e escultor amante do estilo gótico. 

Igreja de Santa Maria del Fiore: Conhecida como Duomo de Florença, está localizada na praça de mesmo nome. O início de sua construção data do final do século XIII, com o projeto de Arnolfo di Cambio, um famoso arquiteto e escultor amante do estilo gótico.

Ponte Vecchio: A ponte mais importante e antiga da cidade atravessa o rio Arno e representa o símbolo de Florença, além de ser o ponto de referência para seus visitantes. Construída na época romana, em madeira e pedra, foi destruída várias vezes pelas enchentes do rio Arno.

Palazzo Vecchio: É um dos locais mais famosos de Florença e é uma parada obrigatória na sua visita a essa cidade. Simbolizando o berço do Renascimento italiano, o Palazzo Vecchio foi construído como um castelo e sua função era ser a residência e o local de trabalho dos funcionários da república.

Piazza della Signoria: Juntamente com o Palácio Vecchio, forma o coração político e social de Florença. A Praça é muito procurada pelos turistas, por ser uma verdadeira galeria de arte ao ar livre, abrigando importantes obras, como uma réplica do David de Michelangelo (a escultura original está na Galeria da Academia de Belas Artes de Florença), dentre outros.

Florença é muito grande e um local riquíssimo quando falamos de arte e cultura. Essas são sugestões possíveis de se fazer a pé no centro histórico da cidade e não devem ficar de fora durante sua visita à região.


Referências:

https://www.florence-museum.com/br/palazzo-vecchio.php

https://umpouquinhodecadalugar.com/europa/italia/a-praca-della-signoria-em-florenca-um-museu-a-ceu-aberto/

https://www.viajandoparaitalia.com.br/blog/florenca-uma-joia-chamada-ponte-vecchio/

https://viagemeturismo.abril.com.br/cidades/florenca-firenze/

https://www.uffizi.it/gli-uffizi

https://www.visitflorence.com/it/itinerari-a-firenze/dante-alighieri-a-firenze.html


Imo Experiência Turística –
Paola Frizero e Karine Verdugo

Criada por duas mulheres, Paola Frizero e Karine Verdugo, turismólogas, a Imo Experiência Turística é uma empresa com foco em roteiros personalizados desde 2020. Valorizamos a experiência de nossos clientes, por isso, fazemos de tudo para que o seu momento de viagem seja inesquecível.


%d blogueiros gostam disto: