O tempo em desconfiança

Revista Casa D’Italia, Juiz de Fora, Ano 2, n. 13, 2021 – Maricilde Pinto | O tempo em desconfiança


Em qualquer calendário eu descubro estar próximo de ti
Onde me vejo e me transporto
Qual teu sentimento?
Entretempos tu me diz

Sabe quando resisto o segundo em tua saliva?
Ali te dispo camadas e camadas da pele
Tu continuas distraído a olhar para mim
Dorme com a promessa de retornar ao que veio
Teu sonho nada te revela

De repente outro, de repente solto em meus dedos, nas minhas cordas
E de novo retiro camada por camada
Começo pelo corpo que te guarda no ventre
Depois os teus cabelos e tua fala
Digo aos teus joelhos para que tuas pernas cresçam
Tu me diz que estou te dando vida, corpo, chances
E eu repito o teu próprio verso
Eu nunca te dei nada

Desde o primeiro momento
O meu retrato é este
Te despir infinitamente
Da tua própria ideia
Te enganar com um propósito
Assim acreditas no amanhã

Assim tens mais uma chance de olhar, brevemente, para dentro
Me insultar em meu mistério
E eu brincar em segredo outra vez.


Maricilde Pinto

É uma poetisa maranhense, contista e redatora. Estudante de Psicologia pela Universidade Federal do Maranhão, é autora do livro “Retalhos do que é ser humano”, publicado em e-book pela Amazon. A escritora tem amor à arte e deseja levar ao mundo o que há de mais urgente na palavra.


%d blogueiros gostam disto: