A sociabilidade entre as mulheres do Terço de Santa Mônica

O Terço de Santa Mônica é um movimento eclesial da Igreja de Nossa Senhora Aparecida, localizada na cidade de Santos Dumont, que é pertencente à Arquidiocese de Juiz de Fora.  Ele reforça a união de mulheres em torno da oração, mas também da sociabilidade. As mulheres não se reúnem apenas para rezar o terço, mas também para momentos de sociabilidade e lazer. Atualmente, são 70 mulheres inscritas, na faixa etária de 30 a 80 anos, que se organizam como movimento, utilizam uniformes e são devotas de Santa Mônica.

São realizadas atividades distintas, como visitar outras igrejas nos dias de novena. As novenas são um conjunto de orações que acontecem no período de noves dias, feitas em homenagem aos santos. As novenas frequentadas pelas mulheres do terço acontecem nas festas religiosas, nas quais são vendidas comidas típicas ao som de músicas católicas ou sertanejas. É muito comum que aconteça  uma procissão.

O ambiente da festa religiosa é um espaço, por excelência, para a sociabilidade. A festa religiosa atua como peça principal na vida religiosa das mulheres do Terço de Santa Mônica. As festividades proporcionam diversos momentos, evidenciam os prazeres da vida comum, o divertimento, o reforço de laços entre as religiosas e o compartilhamento de perspectivas por mulheres que fazem parte do mesmo movimento religioso.

A festa religiosa e a caminhada foram entendidas como o palco para a vivência do lazer. Quando as mulheres do terço recebem convites para visitar outras comunidades religiosas (novenas com festas), elas precisam se deslocar para participar e, quase sempre, a caminhada é escolhida como meio de descolamento. As mulheres vivem a sociabilidade entre si na medida em que andam e frequentam os festejos religiosos.

Comer de forma compartilhada nesses festejos é uma das características das solenidades das quais as mulheres participam. O tempo que é retirado para se alimentar também é um tempo retirado para a diversão, na qual surgem outros tipos de interações sociais. É no contexto das solenidades e festas religiosas que tudo acontece. As mulheres saem de casa e produzem outras formas de experiência.

Portanto, discorrer sobre as movimentações cotidianas das mulheres do terço proporciona um entendimento sobre as maneiras pelas quais as relações sociais são produzidas, assim como a forma pelas quais geram seu autoconhecimento e seu conhecimento de mundo. Os eventos foram entendidos como uma oportunidade para as mulheres viverem uma vida comum regada de divertimento.

O interesse em relembrar essas mulheres e seus deslocamentos, que estudei na minha dissertação de mestrado, veio através do momento da pandemia da Covid-19. Devido ao cenário de calamidade na saúde pública, as mulheres do terço não realizam mais encontros e reforçam sua fé de maneira individual em suas casas. Os momentos de sociabilidade ao ar livre ficaram na memória e espera-se que logo possam voltar a estampar as festas religiosas com suas experiências.


Daniela Alexandre

Doutoranda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Mestra em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2019). Possui graduação em licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2017), bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2016) e bacharelado em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2013).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: