Roberta Stroppa, a musa de uma história que não deu certo

Aquela que a glória tornou famosa

Para quem não sabe, este é um dos significados do nome Roberta. De origem normanda, a versão masculina chegou à Inglaterra e, de lá, caiu no gosto dos países latinos.

Eu sou uma das 693 Robertas de Juiz de Fora, uma das 14.353 mineiras e uma das 142.504 brasileiras, baseado em dados do censo demográfico de 2010. 

Conforme o site Nomes do Brasil do IBGE, o aumento na escolha do nome começou nos anos 1960, explodiu entre 1970 e 1980 e, depois, entrou em queda. 

Como há quase 60 anos, houve a explosão da Jovem Guarda, é possível supor que Roberto Carlos inspirou fãs a batizarem as filhas. No meu caso, o motivo foi a música italiana de 1963, uma das favoritas dos meus pais. E o nome foi meu primeiro vínculo com a Itália. Entre minhas primeiras lembranças está ouvir a versão de “Roberta” gravada no compacto de 1976. E eu sempre quis entender a letra e quem era a mulher que, sem me conhecer, determinou um ponto fundamental na minha vida.

Compacto Peppino di Capri de 1976 da minha família

Roberta Stoppa, a musa de uma história que não deu certo

Roberta Stoppa tinha 19 anos quando se casou com Giuseppe Faiella, de 21, em 3 de maio de 1961. A cerimônia teve ampla cobertura na imprensa e multidão cercando a igreja para acompanhar o enlace do astro do grupo Peppino di Capri ei suoi rockers e da jovem de Turim, uma das modelos mais bem pagas da Itália.

Site Parachoque de caminhão 1961 – Casamento de Peppino e Roberta Stoppa

De acordo com a pesquisa de Gustavo Gossen, para o site Le Canzoni, Peppino contou que, uma noite, teve a inspiração de uma letra sobre um homem que implora o perdão da amada. Ele disse que acordou Roberta e pediu para usar o nome dela. No entanto, também despertou especulações sobre traições e crises na relação, nada confirmadas.

Foi sucesso imediato. “Roberta” ficou por quatro semanas nas paradas de sucesso em 1963 e o grupo vendeu cinco milhões de discos.

Photo by Mondadori via Getty Images

O casamento terminou em 1970. A essa altura, Roberta e ele viviam separados por motivos profissionais: ela em Milão, ele em Capri. “Eu estava cheio de dívidas e o humor não permitia que eu fosse brilhante como ela queria. Bastava de festas, de vida mundana, mas ela não aceitou. Era feita para aparecer e ser admirada”, disse em uma entrevista citada pelo Le Canzoni.

Mas há outro lado nessa história. Após uma entrevista onde Peppino disse que o filho Igor foi “o resultado de uma tentativa de reconciliação, quase um erro de percurso”, Roberta Stoppa falou em 2010 ao Corriere del Mezzogiorno, 40 anos depois da separação.

“Soube de sua história com Giuliana da pior maneira possível: quando descobri que estava grávida. Abraçando-o, eu te disse que finalmente esperava um bebê, seu filho. E você, seco, me respondeu: ‘Que pena, agora estou apaixonado por outra’. O mundo desabou em cima de mim e me refugiei em Milão, onde passei toda a minha gestação sem te ver: você deixou uma esposa grávida em 1970 quando não havia nem divórcio na Itália”.

Oficialmente, Peppino conheceu a bióloga Giuliana Gagliardi em 1970. Em 1973, lançou “Champagne” e ressurgiu na carreira. Eles se casaram em 1978 e tiveram dois filhos: Edoardo e Dario. Giuliana morreu em julho de 2019, aos 68 anos. Peppino afirmou ao Corriere della Sera ter perdido “o meu ponto de referência, a satisfação para criar uma música nova”.

Tudo passa, menos os clássicos

Sempre que Peppino vem ao Brasil, “Roberta” é música obrigatória no repertório, ao lado de “Champagne”. E também em apresentações televisivas, como duas vezes no Domingão do Faustão em maio de 2017 e em março de 2019.

Na minha vida, abriu a porta para eu conhecer e me interessar por outras vozes italianas como Nico Fidenco, Eros Ramazzotti, Laura Pausini, Tiziano Ferro, Andrea Bocelli, Il Volo. Uma jornada que me levou a subir os degraus da Casa D’Italia há alguns anos para estudar o idioma. Para mim, era uma necessidade que superava qualquer rótulo básico de utilidade.

E ser uma garota com nome de música me rendeu alguns momentos inesperados. Como a vez em que um professor na faculdade falou durante a aula, em um tom não muito elogioso sobre a música italiana, que “Roberta” era música de elevador. Eu perguntei em qual prédio, porque eu iria passear lá. Ele não me respondeu.

A mais incrível, disparado, foi quando entrevistei o coordenador do comitê intertribal, Marcos Terena, que estava em Juiz de Fora para a realização do 1º Campeonato Nacional de Nações Indígenas, em 2007. Quando me apresentei, ele começou a cantar:

– Lo sai, non è vero che non ti voglio più. Lo so, non mi credi, non hai fiducia in me… Roberta. 

Quando a música tem o caminho para o sentimento das pessoas, não há fronteiras.


Referências:

BARRACO, Morgan K. ‘Roberta Stoppa ex moglie di Peppino di Capri/ Il figlio Igor ‘quasi un errore di percorso…'”. In: Il Sussidiário. 25/07/2019. Disponível em <https://www.ilsussidiario.net/news/roberta-stoppa-ex-moglie-di-peppino-di-capri-il-figlio-igor-quasi-un-errore-di-percorso/1908946/&gt;. Acesso em 12/01/2021

BRANCACCIO, Filomena. “Peppino di Capri e i suoi Rockers”, il libro che celebra la carriera dell’artista partenopeo. In: Mydreams.it. Publicado em 24/02/2019. Disponível em <https://www.mydreams.it/peppino-capri-suoi-rockers-libro-celebra-la-carriera-dellartista-partenopeo/&gt;. Acesso em 19/01/2021

GOSSEN, Gustavo. Saiba quem é a Roberta, da música de Peppino di Capri. In: Le Canzoni – Música Italiana. Publicado em 16/10/2020. Disponível em <https://lecanzoni.com.br/saiba-quem-e-a-roberta-da-musica-de-peppino-di-capri/&gt;. Acesso em 12/01/2021

IBGE. Nomes do Brasil. Disponível em <https://censo2010.ibge.gov.br/nomes/#/search&gt; Acesso em 12/01/2021.

“Peppino di Capri Roberta non ascolta piu ‘Mi lasciasti incinta nostro figlio Igor”. In Corriere del Mezzogiorno, publicado em 16/04/2010. Disponível em <https://corrieredelmezzogiorno.corriere.it/napoli/notizie/ore_piccole/2010/16-aprile-2010/peppino-capri-roberta-non-ascolta-piumi-lasciasti-incinta-nostro-figlio-igor-1602845855486.shtml&gt;. Acesso em 12/01/2021.

Peppino ha detto si. Istituto Luce Cinecittà. Publicado em 25/06/2021. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=vcmDcJLc-AM&feature=emb_logo (La settimana Incom 02070 del 03/05/1961 Il matrimonio tra Peppino di Capri e Roberta Stoppa)

ROBERTA. In: Dicionário de Nomes Próprios. Disponível em <https://www.dicionariodenomesproprios.com.br/roberta/&gt;. Acesso em 12/01/2021.


Roberta Oliveira

Jornalista graduada e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Com experiência em rádio, TV,
internet, atualmente atuando com marketing de conteúdo, na Experta Media e como
repórter do portal Toque de Bola. Criadora e responsável pelo blog Literatura de Mulherzinha (https://livroaguacomacucar.blogspot.com/) desde 2005.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: